As manifestações de 26 de maio e perda de direitos básicos

Por Hugo França

Aconteceu no último domingo, 26 de maio as manifestações em apoio ao governo do atual Presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro. Os atos percorreram 156 do país e se desencadearam em oposição às manifestações do dia 15 de maio contra os cortes na verba de universidades federais e contra a reforma da previdência.


Para que possamos compreender todo o contexto que envolve esses tipos de manifestações pró-governo, precisamos compreender que a própria mídia contribuiu para a instalação dessa barbárie política. Desde o período pré-impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a grande mídia, principalmente os telejornais dedicaram grande parte do seu tempo de programação para fazer denúncias e coberturas sensacionalistas dos erros cometidos pelo governo da época. O que gerou uma significativa manipulação da população brasileira.


O ódio gerado pela população e as articulações políticas levaram ao que podemos chamar de golpe e Dilma sofreu um impeachment, assumindo no ano de 2017 seu vice-presidente Michel Temer. Desde então, a aprovação do governo Temer foi diminuindo cada vez mais e a necessidade da população de ser um governante “salvador da pátria” e contra o atual sistema político foi se tornando a utopia da vez.


Durante o período do governo Dilma-Temer alguns programas de televisão vinham dando destaque a uma figura chamada Jair Messias Bolsonaro, que sempre respondia de forma grosseria e diversas vezes preconceituosa, as perguntas feitas por jornalistas e apresentadores de TV. De prima, o comportamento do então deputado Bolsonaro era visto além de polêmico, motivo de piada. Até que o deputado foi tomando uma popularidade gigante entre conservadores e amantes da extrema direita e o desejo de que o deputado se candidatasse a presidência em 2018 foi se tornando cada vez maior.


Logo quando foi tomando noção do crescimento de sua popularidade, Bolsonaro deixa ainda mais firme seu discurso anti PT e antissocialista. Eleito, Bolsonaro inicia uma verdadeira tomada de atitudes impopulares e que levam diretamente de encontro a perda de direitos básicos do cidadão. A oposição tem sido forte e até mesmo figuras públicas e políticas que o apoiaram, hoje vêm se demonstrando insatisfeitos com as decisões do presidente.


Foi possível perceber então que os manifestantes em apoio ao atual governo, também estão apoiando a aprovação de medidas que prejudicam até mesmo os próprios apoiadores. É perceptível ao ler as notícias em que eram exibidas as opiniões dos manifestantes, onde claramente se via que o discurso era baseado através das notícias falsas criadas para fins de dar créditos positivos ao governo, um exemplo é a notícia de que Bolsonaro inaugurou estradas no Nordeste, o que é uma mentira, pois as obras se iniciaram no governo Dilma e foram concluídas através da iniciativa privada.


Os manifestantes davam gritos de apoio, também, a reforma da previdência – iniciativa tomada como solução para a crise econômica do país, mas se tomado maior conhecimento do assunto, nota-se que a reforma é uma grande perda de direitos trabalhistas, de aposentadoria e até mesmo restrição aos programas de saúde pública. O STF e o Congresso foram colocados como grandes inimigos do governo criando uma espécie de “barreira” na aprovação de projetos do presidente Jair Bolsonaro.


Manifestantes retiraram faixa em apoio à Educação alegando doutrinação por parte da UFPR

Apoiadores também se mostravam favoráveis ao bloqueio das verbas destinadas a educação no Brasil, como ocorreu à retirada da faixa em favor da educação na cidade de Curitiba, fato que passou com pouco destaque ou pouca importância pela grande mídia do grau de problemas que atitudes como essa podem acarretar para o futuro da educação no país, que é um direito constitucional a toda população.


As manifestações do dia 26 de maio mostram que a população ainda acredita em uma política contra sistema e que não enxerga os atos impopulares tomados pelo governo, a crença em ‘Fake News’ compartilhadas através de perfis falsos e robôs pelas redes sociais fazem com que a sociedade apoie de forma cega à tomada de medidas e projetos de leis que retiram seus próprios direitos.

Apoio: